Os exames médicos dos futuros pais

A saúde do seu filho depende acima de tudo da sua saúde. A responsabilidade que tem com o seu organismo, implica obrigatoriamente uma prevenção eficaz para o bem estar do seu bebé. Portanto, faça exames médicos e analise com cuidado o diagnóstico que, o médico lhe apresenta.

Os problemas ligados à concepção e à gestação nem sempre surgem, mas em algumas situações, podem fazer-se sentir inesperadamente. Dirija-se ao seu médico, ou então a um posto médico, a um centro de diagnóstico pré-natal ou a um centro de planeamento familiar.

A mãe terá por isso, que se submeter a algumas análises de rotina: transaminases, fosfatases alcalines e testes de coagulação, de maneira a analisar o funcionamento do fígado e a sua interligação com o processo de coagulação do sangue. Se suspeita de uma possível anemia, esta poderá vir a ser detectada através de um hemograma.

As doenças de tipo inflamatório podem ser determinadas a partir de uma análise, à velocidade de sedimentação. Os diabetes ocorrem com alguma frequência, portanto uma glicemia basal, será outra das análises de rotina. É conveniente determinar o grupo sanguíneo do pai e da mãe, para prevenir problemas de incompatibilidade.

A imunidade contra a toxoplasmose e a impossibilidade de transmissão da sífilis, são dois factores a ter em conta a partir de análises. O grau de imunização contra a rubéola, de forma a detectar os anticorpos, é fundamental.

As características hereditárias, são determinadas no momento da concepção, a partir daquilo a que se chama de genes, provenientes tanto do pai como da mãe. Destes genes podem surgir doenças hereditárias graves, que só acontecem se os dois genes forem anómalos. Porém, existem casos que sendo apenas um anómalo, a gravidade da doença instala-se de igual forma.

As doenças hereditárias são, basicamente três: a anemia de Cooley ou talassemia major, a distrofia muscular, ou a hemofilia. No primeiro caso, trata-se de uma doença, por vezes, mortal que, surge quando ambos os membros de um casal, contêm um gene anómalo. A existência do mesmo não implica riscos para a saúde da pessoa que o detém, mas quando se trata de concepção de um feto, um em cada quatro, pode nascer doente.
 
A distrofia muscular, surge especialmente quando na família da mulher, já existem antecedentes. Deve comunicar de imediato ao seu ginecologista, para que este a encaminhe corretamente. A doença de “Duchenne”, é a sua aparição mais grave e, surge por altura dos três, quatro anos, originando a invalidez e, mais tarde, a morte.

A terceira doença hereditária, a hemofilia, é uma doença congénita, e que se baseia numa deficiência da coagulação do sangue. A sua transmissão varia consoante o sexo. Se for um rapaz a hereditar a anomalia, esta far-se-á sentir, mas se o caso for o oposto, a rapariga será saudável, ainda que venha a transmiti-la aos seus filhos. A história hereditária progride da mesma forma, que o processo anterior.

Se gostava de vir a ter gémeos, habitue-se à ideia de que uma em cada 80 gestações normais, origina gémeos. As probabilidades de ter gémeos são maiores se houver irmãos gémeos na sua família, ou na do marido. Isto não é 100% seguro, mas é mais provável, que noutro caso, em que os gémeos não existam na sua família.

Estas razões são mais que suficientes, para que realize os devidos exames médicos. Tome conta da sua saúde, que ela de certeza que, cuidará do seu filho!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]