O exame ginecológico, conheça todos os procedimentos

Cada vez mais as mulheres se preocupam, com o seu aparelho reprodutivo. Por isso, a consulta no ginecologista deve ser efetuada, mesmo que a mulher nada sinta. O exame ginecológico deve ser feito anualmente, para ver se tudo funciona corretamente. Mas, quando pretende engravidar, quando não consegue ou quando decide ter um filho, a visita ao ginecologista é ainda, mais importante.

O exame ginecológico

O exame ginecológico deveria ser realizado regularmente, como tantos outros exames que implicam uma certa frequência, de maneira a garantir a saúde do seu corpo.

A atitude do médico, condiciona o próprio à vontade da paciente. No início da consulta, uma conversa ligeira pode ajudar a descontrair e assim, o ginecologista fica informado sobre o historial da paciente, aquilo que se chama de anamnese.

Antes de a examinar verdadeiramente, o médico calça umas luvas, enquanto a paciente se deita, já despida, pronta para ser examinada. O primeiro exame, ainda que externo, é o do abdómen. O ginecologista, iniciará depois o exame interno. Introduzirá na vagina da paciente, os seus dedos para analisar a profundidade, interior e elasticidade da mesma. A posição, o volume, a consistência do útero e dos ovários, serão analisados com o auxílio da outra mão, que se encontra sobre o ventre.

Um “espéculo” de metal ou de plástico, será introduzido na vagina para alargar as suas paredes, de forma a verificar o colo do útero. Poderá ser recolhida uma amostra das secreções da vagina ou do colo do útero.

A paciente deve estar o mais calma possível, tentando-se descontrair por muito estranho que lhe possa parecer. O exame aos seios e mamilos, é a última etapa desta consulta. Este exame prende-se com a necessidade de verificar, a existência de possíveis nódulos ou outro problema.

O médico deve também ser alguém muito paciente e amável. Deve confortar a paciente, ouvi-la com atenção, explicar-lhe em linguagem corrente, o que esteve a fazer e qual o seu estado. Se houver necessidade de um tratamento, deve igualmente esclarecer-lhe todas as dúvidas e receios que a perturbem.

Médico ginecologista

Quando for ao ginecologista tem duas opções: ir a um particular ou a um ginecologista dos serviços de segurança social. Se decidir ir a um da segurança social saiba que, só terá que pagar uma parte dos medicamentos e que, o ginecologista lhe pode oferecer uma vasta quantidade de informações, acerca dos serviços de saúde públicos.

As desvantagens é que, certamente não é ele que assistirá ao parto, não estando disponível para além das horas de trabalho.

Se tem um ginecologista particular, será sempre atendida pelo médico que escolheu, tendo mais tempo para dedicar à paciente. Estará disponível em caso de emergência e, poderá mesmo fazer consultas pelo telefone. Se o desejar, pode ser ele a assistir ao parto.

O desagradável nos ginecologistas particulares, é que terá que pagar e, todo e qualquer exame, medicamento ou análise, serão pagos por si. Mas, pode recorrer ao médico dos serviços de segurança social, se quer que lhe seja paga uma parte da despesa. O maior problema é se o ginecologista particular, não estiver relacionado com as estruturas sociais, o que causará problemas para certas análises ou internamentos.

Não se deixe descuidar nunca, com a sua saúde externa e interna. Vá calma e confiante para o exame ginecológico, pois o médico só quer ter a certeza de que tudo está bem. Se está grávida, certamente que este exame já é uma rotina para si.

A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]