É apenas especial… com trissomia 21

A minha história não é muito diferente das outras mães, a diferença é que não consegui encontrar nenhuma história parecida com a minha.

Sei que existem, será que as mães não as contam…? Como todos os casais que casam e pretendem ter filhos mais tarde, assim eu planeei a minha familia também. Depois de 3 anos de casamento estava na hora de fazer chegar a cegonha. Após ter engravidado, comecei por ter alguns cuidados extra, como por exemplo, deixar de fumar.

A gravidez teve altos e baixos. Com o bebé esteve sempre tudo bem, apenas tinha muita vergonha de se mostrar e não quis virar, portanto o parto teve de ser de cesariana. Durante o parto fiquei assustada, porque o Tiago poderia não ter sobrevivido. Trazia o cordão enrolado à sua volta e com um grande nó que não o deixou alimentar-se o suficiente (no fundo, foi a salvação dele).

Foi o dia mais feliz da minha vida e agradeci a Deus, vezes sem conta, por ter salvo o meu menino. Já o Tiago estava quase a fazer 1 mês quando decidimos mudar de pediatra, por razões pessoais. Nessa altura fomos com ele a uma outra médica, que nos deu a pior noticia da nossa vida. Ela desconfiava que o Tiago tinha Trissomia 21….

O mundo caiu em cima de mim, eu não queria acreditar no que estava a ouvir! Nunca ninguém nos tinha feito tal observação, nem nós nunca notamos nada diferente no Tiago. Para nós era um bebé “normal”, tinha feições da mãe e do pai, não, não podia ser verdade. Mas, o teste do cariotipo veio a confirmar que o Tiago tem de facto Trissomia 21.

Os primeiros tempos foram muito complicados, porque todas as pessoas questionavam, como é que foi possível não se detectar durante a gravidez e se eu não tinha feito a amniocentese. Não havia razão para tal, pois a idade não era de risco e durante as ecografias esteve sempre tudo bem, as medições do Tiago sempre estiveram dentro dos parâmetros. Foram tempos complicados porque não sabíamos nada acerca desta doença nem o que poderia implicar.

Tivemos de procurar informação por nós próprios e o apoio da familia e dos amigos foi muito importante na fase de adaptação. O choque de recebermos uma notícia destas não é fácil. Sabia que ser mãe, iria ser um desafio muito importante na minha vida, mas ser mãe de uma criança deficiente é um desafio maior, por vezes com alguma dor e por vezes (a maior parte) com muita alegria. O Tiago não é diferente das outras crianças. é apenas especial, é uma criança feliz e linda!! É o meu “chinoca”, é o meu TESOURO!!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]