Meningite bacteriana – doença infecciosa por vezes fatal

As meningites e em particular a meningite bacteriana, são doença infecciosas que podem ser provocada por um vírus ou bactéria e por vezes têm um desfecho fatal.

A Meningite é uma infecção que ocorre principalmente nas crianças e nos jovens. As membranas que envolvem o cérebro, as meninges, ficam inflamadas e, se a situação não for detectada a tempo, é provável que o pior possa acontecer ou então que deixe consequências muito desagradáveis e para sempre relembradas.

De entre as várias meningites, as que são menos conhecidas são as provocadas por uma bactéria denominada por listeria monocytogenes e pela escherichia coli, esta última responsável pelas meningites neonatais.

Tipos de meningite

As meningites bacterianas são as mais perigosas, e as que podem produzir a destruição total do cérebro ou originar o culminar inesperado de uma vida.

A meningite Viral

Embora as Meningites Virais exijam também a sua preocupação, estas não são tão perigosas e apenas em raras excepções são fatais.

A Meningite Viral surge a partir de vírus, e os seus sintomas podem passar despercebidos, como podem também ser quase tão preocupantes como os das meningites bacterianas.

Num caso ou noutro, quer se fale em Meningite Viral ou Bacteriana, deve sempre consultar o médico, até porque os sintomas são parecidos e pode mesmo vir a confundi-las.

Meningite bacteriana

A meningite bacteriana, a mais grave das duas, é causada principalmente por três bactérias:

  • os meningococos, a valência mais frequente e que ataca principalmente as crianças,
  • os pneumococos, que afecta mais os idosos e são os principais responsáveis pelas pneumonias e infecções pulmonares,
  • e a haemophilus influenzae, de pouco impacto hoje devido à eficácia da vacinação.

Estas bactérias, por incrível que possa parecer, estão situadas em muitas pessoas, embora estas não tenham tendência para desenvolver a doença.

Na verdade as pessoas podem conter essas bactérias, não desenvolverem a doença, mas propagá-la para outras.

A tosse, espirro, pequenas gotas de saliva, usufruir de talheres em comum, podem ser algumas pontes para transmitir a doença a outros.

Se tem filhos esteja alerta

A meningite bacteriana ocorre mais frequentemente entre crianças com idade compreendida entre o ano de idade e os 4 anos. Se tem filhos com essa idade, fique atenta!

Para se conseguir tratar a Meningite é preciso detectá-la quanto antes! A idade, o apreciação clínica da pessoa na sua totalidade e o tempo que se leva até se actuar para o combate da propagação da doença podem ser os motivos chave para travar a infecção.

Apesar dos progressos dos tratamentos com antibiótico, a taxa de mortalidade desta infeção permanece elevada, entre 5 e 15%. Para além disso as sequelas permanentes, como a surdez e as alterações do desenvolvimento psicomotor, atingem cerca de 25% dos sobreviventes.

Aliás, para além da Meningite é também comum estar associada a ela uma Septicemia, umas manchas vermelhas na pele que se propagam no corpo todo. A Septicemia implica a intervenção médica imediata! Os valores de casos mortais atingem os 20% e convém também não esquecer outras consequências: perda auditiva, convulsões cerebrais ou tromboses.

Assim, que detectar algum dos sintomas que em seguida lhe vamos referir, não hesite e dirija-se de imediato a um médico ou hospital. Não espere nem um segundo, e deixe que o médico trata do resto!

Sintomas em crianças com menos de 2 anos

Tendo em conta que a Meningite ataca mais rapidamente os mais novos, vamos dar-lhe o quadro de sintomas para as crianças com idade inferior a 2 anos:

  • sonolência,
  • febre, embora tenha os pés e as mãos quase geladas,
  • vómitos,
  • diarreia,
  • perda de apetite,
  • chorar em demasia, quase num acto de histerismo, o bebé demonstra dor, embora você não saiba o que é,
  • o pescoço começa a inclinar-se para a frente inexplicavelmente e as costas ficam arquejadas,
  • tal como o aparecimento de manchas vermelhas por todo o corpo, isto é, a Septicemia.

Sintomas em crianças com mais de 2 anos e adultos

Cabe aos pais detectar alguma anomalia na criança. Nos adultos e crianças com mais de dois anos é comum verificar-se:

  • uma febre exageradamente alta,
  • vómitos quase em jacto,
  • uma rigidez no pescoço muito forte (ao doente é feito um teste no hospital que comprova ou não a certeza da infecção),
  • dificuldade em suportar a luz,
  • dores nos músculos e articulações,
  • sonolência
  • e algum desequilíbrio emocional.

A Meningite pode desenvolver-se em apenas um dia (estas são denominadas Meningites Fulminantes), ou então levar ainda algum tempo a manifestar-se. Como os primeiros sintomas podem indicar uma mera gripe ou constipação, quando a Meningite é detectada por ser já tarde de mais.

Assim que desconfiar de algo vá de imediato ao médico ou ao hospital. Os tratamentos à doença são feitos no hospital recorrendo a doses muito fortes de antibióticos, consoante a idade e o tipo de Meningite, que só tinham condições para serem administrados no hospital.

Nos adultos

Nos adultos, embora com menos frequência, podem também surgir Meningites. Nas crianças com idades superiores a 2 anos e nos adultos os sintomas variam um pouco, embora assentem na mesma base. Temos também que ter em conta que as crianças e os adultos já se sabem queixar.

 Vacinação contra a meningite bacteriana

Quanto à vacinação, esta ainda não consegue ser totalmente eficaz. Algumas vacinas não são administradas com regularidade.

Apenas são efetuadas quando a pessoa esteve em contacto com alguém que contraiu a doença ou quando vai viajar para um país tropical. Isto aplica-se às Meningites resultantes de meningococos, embora a própria constituição da vacina não seja total para combater todos eles

Para as Meningites provocadas por pneumococos existe uma vacina destinada apenas a pessoas com mais de 65 anos, enquanto que para as Meningites provenientes do HIB existe já uma vacina administrada em quatro doses, até a criança ter completado os 18 meses.

Cuide bem de si e do seu filho! Ao mínimo sinal, dirija-se de imediato a um médico ou hospital. E, se quiser informar-se mais sobre a vacinação, basta dirigir-se a um Centro Médico que lá dar-lhe-ão toda a informação que precisa na hora. Previna-se!

Classificação
A sua opinião
[Total: 9 Média: 2.2]