Estrofia da bexiga, foi precisa muita força de vontade

225
Testemunho
Testemunho

Minha filha nasceu a 26-02-1983. Esse não foi um dia de alegria como é normal no nascimento de uma criança.

Andreia tinha nascido com uma má formação rara. Estrofia da bexiga. Da cinta para baixo nasceu completamente desunida desde as ancas, à formação do sexo até aos pézinhos. Foi operada 13 vezes, uniram as ancas, colocaram a bexiga no lugar, foi operada ao intestino…tanta coisa e tanto sofrimento para uma criança tão pequena.

Passei por tudo o que se possa imaginar até me disseram que mais valia Deus levá-la. Ela sofria muito e nós claro, sofriamos com o sofrimento dela. Os médicos diziam que apenas iria começar a caminhar aos 6/7 anos mas com muito empenho e força de vontade por parte dela com dois aninhos já caminhava. As infecções urinárias eram uma constante e isso dificultava muito o progresse e denvolvimento da Andreia.

Com 6 anos deixou as fraldas de dia por sua própria iniciativa. Aos 10 já não usava nem de dia nem de noite. Os médicoas admiravam-se com os progressos mas a verdade é que a força de vontade da Andreia em viver era mais forte que qualquer dôr e fazianos soportar todos os dias o seu sofrimento.

Era uma criança alegre, brincalhona e passava os dias a cantar e querer ensinar o avô a escrever e lêr.
A cada dia que passava a sua força era maior. O facto de passar os dias com os avós enquanto eu e meu marido trabalhávamos (não era aceite em infantários) fez dela uma criança aberta para o mundo e para a natureza. Gostava de estar sempre com o avô no campo e a brincar com os primos. Nunca foi melhor aluna da turma mas era das melhores. Mesmo chegando a faltar meses completos, ela estudava em casa e alcançava bem os colegas.

Passaram 21 anos e Andreia está a preparar o seu casamento e vem aí também o seu primeiro filho. Nunca pensamos que podesse ser possivel mas ela deu-nos uma grande lição de vida. Os médicos estãio admirados com a evolução. A Andreia teve sempre cuidado de tratar dela da melhor forma e preferia que os pais ficassem a fazer qualquer outra coisa enquanto ela fazia os tratamentos.
Está muito Feliz e Bruno ( futuro marido) também.

Sempre nos disse que tinhamos que viver cada dia como se fosse o último e isso fez dela o que ela é hoje. Mas ao mesmo tempo lutou sempre contra tudo e todos que podessem colocála mais fragil e nunca se deixou derrotar.

Está de Parabéns!!!!

A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]

Escreva um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here