Como ajudar o seu filho a largar a chupeta

De que forma podem ser afetados os dentes do seu filho quando ele teima em não largar a chupeta? A tardia interrupção do uso da chupeta pode causar problemas na arcada dentária e no desenvolvimento da fala.

O hábito das chupetas ou dedos pode determinar uma alteração da posição dos dentes e no formato das arcadas dentárias, de diversos tipos e intensidade, o que depende do hábito, do período de tempo, da força que a criança aplica e, da resistência dos alvéolos (o alvéolo é a parte do osso mandibular ou maxilar onde o dente se aloja), e do padrão dos dentes bem como da face da criança.

A  maior parte das alterações causadas pelas chupetas são corrigidas espontaneamente desde que o hábito seja interrompido até os quatro anos de idade.

Como a criança pode largar a chupeta

O ideal é que a criança largue sozinha a chupeta, e os pais devem explicar o motivo e a importância de largar a chupeta ao seu filho.

Se estiver a pensar em retirar a chupeta não o deve fazer de forma abrupta, para que a criança não troque a chupeta pelo dedo.

Os pais devem de algum forma negociar com a criança o tempo de uso e a aua frequência. O processo muitas vezes não é fácil, principalmente nos primeiros dias. Quando a criança sentir necessidade da chupeta, os pais devem, se possível, ter algo para substituir a mesma.

Pode ser um livro para a criança se entreter, um passeio no parque, uma atividade que a criança goste. Tenha paciência e encoraje a criança quando ela conseguir ficar sem a chupeta.

Ideias para o seu filho largar a chupeta mais facilmente:

  • Combinar o seu uso quando a criança dormir.
  • Usar um calendário colorido para anotar os dias em que a criança conseguiu ficar sem a chupeta.

Cada dia  vale uma estrelinha, que deverá ser colocada pelos pais no calendário. Quando a criança completar uma semana sem a chupeta, ofereça algo que ela adore, ida ao restaurante, um passeio, um brinquedo… assim irá fortalecer o incentivo para o seu filho largar a chupeta de vez.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]