Ser “Madrasta”

Vivo em união de facto com o meu, agora noivo visto que vamos casar este ano. Ele tem um filho lindo de 5 anos, Ricardo(que adora!), de uma anterior relação que vive com a mãe.

Até agora parece ter-me aceitado bem e gostar de mim, damo-nos lindamente. No entanto sinto que ele sofre muito com a separação dos pais… pois quase sempre quando o vamos buscar a casa da mãe, assiste a uma violenta discussão entre eles provocada pela mãe que reage sempre impulsivamente.

Sempre que estamos sozinhos, o Ricardo desabafa comigo o que o preocupa e fala também da sua mãe. Ele gosta muito dos dois mas por mais que eu lhe diga o contrário ele pensa que os seus pais se odeiam e sente muito a falta da altura em que estavam todos juntos.

Muitas vezes ele conta-me episódios felizes que passou com os pais. Sinto que ele se sente culpado e preocupa-se muito em agradar aos pais. Se lhe dizem que amanhã vai para a mãe/pai ele mentaliza-se para isso e acha que é o que está certo, no entanto se os pais combinam entretanto outro dia ele reage um pouco mal porque pensa que os pais já discutiram e aquele para onde ele sabia que ia nesse dia vai ficar triste… Queria muito ajudar esta criança mas não sei como.

A única coisa que posso e sei fazer é ser amiga dele e falar sempre bem dos pais seja em que situação for. Tenho pena que o Ricardo não possa passar mais tempo comigo e com o pai… O pai adora-o e eles têm uma relação muito bonita de pai-filho.

Muitas vezes tenho que o consolar das muitas saudades que sente do filho. Também eu tenho muitas saudades e sofro com eles pois também me apeguei muito ao rapaz e sinto-me um pouco mãe do Ricardo por afinidade.

No entanto temo que com o passar do tempo, quando ficar mais crescido, ele possa afastar-me e tratar-me mal e chamar-me aquele nome horrível que é “MADRASTA”, muitas vezes associado a uma bruxa má que não gosta de crianças mas que, apesar de esse significado não ter nada a ver comigo, é isso mesmo que eu sou…uma Madrasta mas boazinha e que o adora!

Obrigado por este espaço onde pude desabafar um pouco.

A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]

Escreva um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here