A Bela e o Monstro

Numa pequena aldeia vivia Bela, uma jovem muito formosa, filha de um comerciante…  O seu pai lamentava-se que os negócios não iam lá muito bem.

Certo dia o comerciante seu pai teve de viajar para acompanhar os seus negócios. Bela despediu-se com tristeza e pediu-lhe que lhe trouxesse apenas uma rosa. Durante a viagem, quando o pai de Bela passava por um belo bosque, uma enorme tempestada apareceu de repente e ele procurou protecção num tenebroso castelo onde viu luz.

Embora parecesse não haver ninguém, ele sentia-se observado:
– Olá, está aí alguém? gritou ele à porta do castelo que estava aberta.

Ninguém respondeu. Então o pai de Bela para sair da tempestade entrou no castelo e encontrou uma mesa cheia de comida. Parecia preparada para ele. Comeu, comeu e depois de estar satisfeito adormeceu. Passado umas horas a tempestade tinha passado e o pai de Bela acordou e como não via ninguém para agradecer preparou-se para se ir embora.

Quando já ia a sair lembrou-se da rosa que a filha lhe tinha pedido. O jardim do castelo estava cheio de rosas e o comerciante pensou: se tirar uma ninguém vai notar e apanhou uma das lindas rosas que havia no jardim. Nesse momento surgiu uma monstruosa figura que espantou os cavalos do comerciante.

Entretanto Bela começava a ficar preocupada porque o seu pai não voltava. Já a tarde estava quase no fim quando Bela viu o cavalo do seu pai aparecer sozinho.

Bela ficou preocupada e disse ao cavalo:

– Leva-me ao meu pai.

Ao chegar ao castelo a jovem ouviu a voz do seu pai a chamar e pedir a ajuda. Quando Bela conseguiu chegar junto do seu pai apareceu o terrível monstro.

– O teu pai está preso porque me quis roubar, disse o monstro com um vozeirão.
– Eu ficarei no lugar do meu pai, que está doente disse Bela.

O monstro aceitou e dessa maneira começou a sua vida no castelo do Monstro. Passaram os dias. Apesar do seu terrível aspeto, Bela descobriu que ele era amável e gentil. Juntos liam livros e ele contava-lhe histórias de lindos países.

Numa noite após o jantar o monstro colocou uma musica a tocar e disse para Bela:

– Concedes-me esta dança?
– É um prazer, respondeu a jovem, sorrindo-lhe.
– Bela, que te preocupa, perguntou o monstro?
– É o meu pai, quando se foi embora não se encontrava bem de saúde e não tenho tido noticias suas. Gostava de ir vê-lo, respondeu a jovem.

No dia seguinte Bela partiu mas antes prometeu ao monstro que voltaria. Quando chegou à sua antiga casa, Bela encontrou o seu paí muito doente. Só de vê-la começou a restabelecer-se e ela ficou em casa durante várias semanas.

Um noite Bela teve um sonho no qual viu como o monstro caía no chão e ficava sem se mover. Bela acordou de repente, montou o seu cavalo e encaminhou-se para o castelo onde encontrou o monstro tal como o tinha visto no seu sonho.

– Não morras! Chorava Bela. Eu Amo-te.

De repente uma luz iluminou o lugar e o monstro desapareceu numa nuvem de fumo. No seu lugar apareceu um belo príncipe e explicou-lhe que tinha sido vítima de um feitiço um bruxa má. Bela atirou-se aos seus braços e foram felizes para sempre.

A sua opinião
[Total: 5 Média: 2.4]