A gata borralheira

1059
A gata borralheira

Há muito, muito tempo havia um senhor cuja mulher tinha morrido deixando-lhe uma filha para criar. A menina era muito bonita e simpática com todas as pessoas que iam ter com ela.

Um dia, o senhor decide casar-se mais uma vez. Mas, para surpresa de todos, a nova mulher era muito má e vaidosa. Para além disso, ela ainda tinha mais duas filhas tão más como ela. Pouco tempo passou para que a madrasta e as suas filhas começassem a tratar mal a rapariga – riam-se dela, gozavam com tudo o que ela fazia e dizia e, ainda por cima, tratavam-na como uma criada.

O único sítio onde ela tinha descanso era na cozinha, junto à lareira ou borralho. Por isso lhe chamavam Gata Borralheira…

Um dia o filho do rei decidiu dar uma grande festa para todas as pessoas importantes do reino. Iam ser duas noites de festa até ao nascer do Sol!

Claro que as duas irmãs estavam muito contentes e excitadas com o convite que tinham recebido… Por isso, obrigaram a Gata Borralheira a fazer belos vestidos para elas e a ajudá-las a prepararem-se para o grande dia. E lá foram as duas irmãs… E Gata Borralheira?

Muito triste, a rapariga foi-se sentar à lareira a chorar. Também ela queria ir ao baile, mas as irmãs e a madrasta não a deixaram.

De repente, uma linda senhora aparece e dirige-se até ela. Com um ar muito bondoso, a senhora tinha uma coisa estranha na mão: era uma varinha mágica.
– Porque é que estás a chorar? Podes-me contar tudo Gata Borralheira, eu sou a tua fada madrinha… Ainda com medo, a menina responde-lhe:
– Eu gostava muito de ir até ao baile, mas tive de ficar em casa…
– Então vais, não te preocupes! Olha, arranja-me uma abóbora, uma ratazana e seis lagartos…

Muito curiosa, Gata Borralheira foi até ao jardim e trouxe a maior abóbora que lá encontrou, bem como seis lindos lagartinhos. Depois, foi a vez de ir até ao sotão para descobrir uma ratazana. Tudo estava pronto… Na cozinha, a fada madrinha continuava à sua espera.

Com a sua varinha mágica, tudo se transformou de repente: a abóbora numa linda carruagem dourada com oito cavalos, a ratazana num gordo cocheiro e os lagartos em seis criados.
– Está tudo pronto… Vamos embora até ao baile! Só falta um pormenor: o teu vestido…
Com mais um passe de magia, a fada madrinha transformou o vestido de farrapos de Gata Borralheira no mais lindo vestido alguma vez visto.

Todo em ouro e prata, o seu vestido ia fazer sensação. E que lindos sapatos de cristal a madrinha também lhe tinha arranjado…

Gata Borralheira subiu para a carruagem e, antes de partir, a fada disse-lhe:
– Lembra-te que tens de voltar antes da meia-noite porque a essa hora a magia acaba e tudo volta a ser como antes.
– Não me vou esquecer, prometeu a Gata Borralheira muito contente.

No baile, Gata Borralheira fez muito sucesso: todos olhavam para ela e perguntavam quem seria aquela bela rapariga.

O príncipe apaixonou-se de imediato por ela e convidou-a par dançar toda a noite. Só que, perto da meia-noite, a Gata Borralheira saiu da festa sem ninguém dar por isso.

No dia seguinte, todas as pessoas falavam sobre o assunto – quem seria aquela rapariga. Alguma princesa? Mais uma vez, a Gata Borralheira foi ter com as irmãs e a madrasta e pediu-lhes para ir ao baile.

A resposta, mais uma vez, foi não:
– Nem penses… Nós ao lado de uma pessoa feia e suja como tu! O que iria pensar o príncipe?
E lá foram elas para o segundo dia de festa…

Nessa mesma noite, a fada madrinha apareceu de novo á Gata Borralheira e transformou outra vez a abóbora, os lagartos, a ratazana e apareceu mais uma vez um lindo vestido.
Muito contente, Gata Borralheira foi para o baile onde dançou toda a noite com o belo príncipe.

Riram e conversaram muito, tanto que a rapariga se esqueceu das horas. Quando ouviu as badaladas da meia-noite, fugiu e nem tempo teve de se despedir do príncipe. Este ficou muito triste e ainda correu atrás dela… Mas a linda rapariga já tinha desaparecido. Tudo o que ele encontrou foi um lindo sapatinho de cristal…

Sem esperar, o príncipe mandou os seus criados irem à procura da dona daquele sapato e disse:
– Eu vou-me casar com a rapariga que tenha usado este sapato! E assim foi…

O príncipe visitou todas as casas do reino, mas não conseguiu descobrir a dona do sapato de cristal. Por fim, chegou a casa da Gata Borralheira…

As suas irmãs estavam muito nervosas: elas queriam, a todo o custo, conseguir calçar o lindo sapato para poderem casar com o príncipe. Mas em vão…
– Não há mais ninguém cá em casa?

À pergunta do príncipe responderam as irmãs que com elas só estava a criada. Mas, mesmo assim, o filho do rei chamou Gata Borralheira para experimentar o sapato. Para espanto de todos, o sapato servia-lhe que nem uma luva – ali estava a dona do sapato de cristal!

Gata Borralheira e o príncipe casaram e viveram felizes para sempre. E quanto às irmãs. Como era muito bondosa, Gata Borralheira levou-as para o palácio onde casaram com fidalgos da corte.

A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]

Escreva um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here