Futuras mães, preparem-se para o parto

Antes de ser realizado o parto, a futura mãe deve ter o mínimo de orientação para a forma como este se processa. Os receios são muitos e as dúvidas ainda são mais.

A saúde da mãe é muito importante durante a gravidez. É dela que depende o bem estar do seu futuro filho. Por vezes, surgem alguns problemas durante esta fase, característicos deste período, mas qualquer anomalia mais grave, deve ser de imediato comunicada ao seu médico. Ainda assim, os problemas habituais e perfeitamente normais são variados, por isso não se preocupe, se tiver uma simples dor nas costas ou, o indício de prisão de ventre.

As dores nas articulações são carateristicas desta fase e, são provocadas pelas hormonas da gravidez.

A “dor dos ligamentos redondos”, que começa no baixo abdomen e se estende até à virilha, é provocada pela distensão dos ligamentos redondos, que mantêm o útero em suspensão no abdómen. Uns exercícios ou um banho quente, poderá aliviar essa dor. Porém, se a mesma fôr insuportável procure o seu médico, é sinal que algo não está bem.

Nas últimas semanas o útero vai-se contraindo cada vez mais, e poderá pensar que está a entrar em trabalho de parto. Essas contrações são muito normais, mas se sentir uma dor forte na zona pélvica, antes do tempo, deve chamar de imediato um médico.

As dores nas costas é o mais frequente e quase todas as grávidas as têm. Tem a ver com o aumento de volume do útero e, por sua vez, com o desiquilíbrio físico, provocado pelo aumento de volume do seu bebé.

Atenção, pois se a dor for aguda, consulte um médico, já que pode ser o indício de uma infecção renal. Para aliviar estas dores, nada melhor do que ter as costas sempre numa posição correta, quer esteja sentada ou de pé, não fazer esforços, usar sapatos de salto baixo, sempre que se baixar, adote a posição de cócoras, flectindo os joelhos e ao deitar-se, coloque-se de lado com os joelhos dobrados e puxados para cima, sobre um colchão duro. A realização de exercícios é sempre importante, para aliviar a dor nas sua costas.

Á medida que o útero aumenta, os pulmões têm menos espaço para se expandirem, dificultando a respiração às mulheres grávidas. Quando a cabeça do bebé desce em direcção à pélvis, à 36ª semana, é provável que já se sinta muito melhor.

A prisão de ventre é outra das coisas muito normais, nas grávidas.

Nos últimos meses de gravidez a pressão exercida pode ser muito pior. Para evitar o desconforto e atenuar a prisão de ventre, inclua na sua alimentação alimentos ricos em fibras, como a fruta crua e hortaliça. Beba muita água e sumos de fruta, e meia hora antes do pequeno almoço, tome um chá de limão, bem quente. Faça todos os dias as suas necessidades, para dinamizar o seu sistema urinário.

Nos últimos três meses, em especial durante a noite, as cãibras nas pernas são muito frequentes. Para as combater, estique as pernas ao deitar e aplique uma massagem, na barriga da perna, durante o banho.

Os desmaios no início da gravidez, podem marcar a sua presença. A tensão arterial está mais baixa e, ainda para mais, as exigências de consumo de açúcar por parte do seu bebé, são agora superiores. Esta sensação poderá ser acompanhada de pele fria e húmida, portanto não esteja muito tempo sem comer.

Os alimentos doces podem agravar o problema, por isso, de duas em duas horas, tome um copo de leite, beba um iogurte ou coma uma sanduíche. Ao sentir a sensação de desmaio, alargue a roupa e sente-se ao pé de uma janela aberta. Coloque a cabeça para baixo e de seguida coma qualquer alimento, para recuperar as forças, de preferência contendo proteínas e hidratos de carbono.

O cansaço nos primeiros e nos últimos três meses é uma constante. Descanse o mais possível, e sente-se sempre que haja oportunidade. As refeições equilibradas são fundamentais.

Os exercícios da zona pélvica, são bastante úteis. Contraia os músculos em volta da vagina, comprimindo-se, para cima e para dentro, como se estivesse a apertar ou a impedir a passagem de urina, ao mesmo tempo que fecha o anus de maneira a impedir a passagem de gases.

Este exercício poderá ser executado, enquanto faz a lida da casa, ou a descansar. Para um efeito mais eficaz, faça-o enquanto urina, de forma a proporcionar um controlo sobre si mesma. Abuse dos líquidos, e esvazie a bexiga. Porém, evite o chá ou o café em demasia.

Dores de cabeça, quase todos nós temos. Contudo, na altura da gravidez essas dores são muito mais frequentes, talvez porque os seios nasais estão mais sensíveis. Tome um Paracetamol, que é algo de inofensivo ou então, utilize o método de inalação de vapor.

Aquilo a que habitualmente chamamos de azia, é um género de uma má digestão, que nos perturba desde o estômago até à garganta. Assim, tente identificar quais os alimentos que lhe provocam azia, fazendo pequenas refeições, e evitando os alimentos gordurosos, frios ou exageradamente condimentados. O problema da azia, agrava-se quando está deitada, por isso deve dormir encostada a muitas almofadas ou incline ligeiramente, a cabeceira da cama.

Durante a gravidez e, devido a um aumento de pressão sobre o sistema circulatório, podem surguir as hemorróidas, situadas no recto. Estas veias varicosas causam comichão, dor ou ferida. Para as evitar, convém beber muitos líquidos, especialmente água, fazer muito exercício e aplicar na zona em causa, um saco de gelo ou cubo, massajando-a.

Encontrar uma posição confortável, no final da gravidez é deveras complicado. Se beber uma bebida quente à base de leite, quando for para a cama ou tomar um banho quente antes de se deitar, talvez durma muito melhor. O mesmo acontece se dormir deitada de lado com uma almofada a apoiar a barriga, e outra entre as pernas. Não se descuide e faça muito exercício.

Muitas futuras mães, sentem uma comichão generalizada pela pele. Deite um pouco de bicarbonato na água do banho e aplique uma loção de calamina, nas zonas afetadas. Se esta comichão for muito intensa, consulte, como é óbvio, o seu médico.

As mudanças hormonais provocam náuseas e vómitos, que sendo mais frequentes pela manhã, podem surgir em qualquer altura. Este problema afeta as mulheres, nos três/quatro primeiros meses de gravidez.

A melhor maneira de combater esta sensação é, antes de se levantar beber uma chávena de chá ou comer qualquer coisa. Levante-se muito lentamente e durante o dia, coma vários alimentos em hidratos de carbono ou frutas. Experimente bebidas gasosas, evite os cheiros que lhe desagradam e coma rebuçados.

A dormência e o formigueiro vão aumentando, à medida que o útero vai também aumentando. Deite-se de lado, de vez em quando, durante o dia. O inchaço das pernas e dos tornozelos também é normal, e como tal, evite roupa apertada, estar muito tempo de pé ou sentada e descanse bastante com as pernas levantadas.

As suas gengivas podem inchar ou sangrar sempre, devendo ter o cuidado de ao lavar os dentes usar uma escova de nylon e, uma pasta indicada para gengivas sensíveis. Consulte o seu dentista com frequência.

As varizes podem surgir nas pernas, devido às hormonas da gravidez, sobre as paredes dos vasos sanguíneos. Assim, evite estar muito tempo de pé, não se sente de pernas cruzadas, ande pela casa frequentemente, não use meias com ligas, nem até ao joelho, mas sim meias de descanso.

Tome nota de tudo aquilo que foi dito, e acautele-se com a sua saúde e com todos os eventuais sinais que possam surgir, demonstrando que algo não está em perfeitas condições. Procure o seu médico, pela sua saúde e do seu filho.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]