A nova moral dos infantários

Sou mãe de uma criança de 13 meses que se viu obrigada a colocar o filho num infantário porque a avó que o criava desde os 4 meses, já não tinha estaleca para tal, começou a ficar doente das costas, etc (já não se fazem avós como antigamente… eh eh eh ).

De modo que comecei a estudar os infantários na periferia… um autêntico pesadelo!! a alimentação é completamente absurda! incluem na ementa: ovos mexidos com fiambre, a arroz de atum, a bacalhau à gomes de sá, ao lanche pão com manteiga (ai o figado…) a crianças de 12 meses…. depois as divisões em que as crianças permanecem durante cerca de 8 a 12 horas são minusculas! tive a sensação que eram autênticos depósitos de carne humana!

já para não falar daqueles infantários que tinham o chão em madeira (aí as lascas a espetarem-se nas mãozinhas) até ao chão de tijolo (frio e quando eles caem – que estão nessa idade – magoam-se) as ditas educadoras e auxiliares por vezes apresentam uma disposição que ilustra uma certa frustação e cansaço…. resultado desta pesquisa: um infantário bom, com chão flutuante, w.c. consoante as idades das turmas, sala com muita luz e bons brinquedos educativos e objetivos de educação bem explicitos por sala/idade, reuniões com os pais, e a alimentação como deve de ser numa cozinha bem higienica!

Excelente tinha encontrado o que queria excepto no preço… 500€/mês encontrei um dilema, passar alguma dificuldade ou colocar o meu filho num local como deveriam ser grande parte de todos os infantários! Acabei, infelizmente por coloca-lo num outro infantário onde as condições não eram muito más à excepção das ditas educadoras.

Com o passar do tempo verifiquei que as três salas eram geridas por três irmãs, a cozinheira era a mãe delas e o pai também fazia parte do staff e ainda em duas das salas estavam os seus filhos.

Com o passar do tempo (por vezes ficava mais tempo na sala para verificar o ambiente e o modo como elas tratavam as crianças) verifiquei que os seus filhos eram arrogantes para os outras crianças, e que as supostas educadores nada faziam…. numa das vezes em que aguardava lá fora, antes de tocar à campainha – estava a sair do carro – ouvi os berros de uma auxiliar dirigidos a uma criança… entretanto o meu filho começou a chegar com arranhões, a última vez trazia um corte na cara profundo que já passaram 3 semanas e ainda tem a cicatriz… a razão?

Segundo uma das irmãs… arranhou-se a ele próprio! esta foi a última gota de água no saco já cheio! retirei-o! procurei uma ama (o meu marido conhecia uma) e embora tenha entrado à pouco tempo, já notamos uma grande diferença no meu filho! mais alegre, mais solto!

Por isso chamo a atenção para as mães! Vejam bem, analisem bem o espaço onde colocam os vossos filhos porque eles passam muitas horas com aquelas pessoas, naqueles espaços!

Olhem os vossos filhos nos olhos e vejam se eles estão contentes! abstraiam-se um pouco do vosso stress diário e comuniquem com os vossos filhos dando-lhes a devida atenção!

Eles merecem o melhor de nós! Por outro lado pergunto: O QUE ANDA A FISCALIZAÇÃO A FAZER?? Onde andam os delegados de saúde da segurança social?

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 1]