Estimule o seu bebé

Desde  o momento do nascimento o bebé necessita de aprender, e para isso, a ajuda dos adultos é fundamental. No entanto, e embora possamos contar com a valiosa “intuição de pais”, nós adultos também devemos aprender sobre as necessidades dos bebés e como satisfazê-las.

O bebé como pessoa

O bebé necessita  de ser considerado como uma pessoa que sente, deseja, goza, sofre,  necessita de comunicar e adaptar-se à realidade. Assim como o adulto, mas com as suas particularidades. De modo que como qualquer pessoa o bebé também é capaz de entender. Se a mamã ou o papá estão convencidos de que o bebé entende, não o tratarão como um objeto.

Pelo contrário: embora ainda não fale, observam-no tentando descobrir o que quer dizer-lhes, falam-lhe e exprimem com carícias e gestos os seus sentimentos, explicam-lhe sucessos e mudanças, Os pais deverão despedir-se ao ausentarem-se dizendo que também a eles lhes custa a separação, e quando irão regressar, e que se preocupa mas estão a deixá-lo num ambiente conhecido e em boas mãos.

Desde o princípio, o bebé aprenderá atitudes, sentimentos, maneiras de ser e de enfrentar a realidade, confiança e receios, transmitidos pelos seus pais, inclusivamente para além da sua conveniência e vontade. Porque não nos dedicarmos então a analisar quais são os estímulos que recebe durante algumas horas ou durante um dia?

Porque não selecionar aqueles que consideramos os melhores para tentar oferecer-lhos, tendo em atenção que o futuro das pessoas depende da qualidade e quantidade de amor recebido nos primeiros anos de vida muito mais que nos posteriores? Além disso, a qualidade dos estímulos recebidos desde o início da vida pode fazer retroceder, total ou parcialmente, alguns déficits de maturação que o bebé pudesse ter ao nascer.

Da estimulação à aprendizagem

A estimulação não tem segredos nem é uma tarefa complicada. Assim como uma criança feliz é filho de pais felizes, para quem a criança é algo desejado e prazenteiro, as crianças estimuladas e curiosas são filhos de pais interessados também em saber, em fazer, em criar… E isto não implica necessariamente títulos ou carreiras.

Para estimular o bebé é preciso desejar comunicar realmente com ele e aproveitar todas as situações para demonstrar-lho, criando novas e variadas experiências que lhe permitam descobrir o seu corpo e o mundo com alegria. Para conseguir essas aprendizagens, a criança deverá concretizar ela mesma repetidos exercícios.

Mas quanto mais numerosos e diversos forem os estímulos que lhe forem proporcionados, maior será a sua capacidade de aprender no futuro e de adaptar-se às novidades. A convição de que cada criança é diferente, e de que estas diferenças incluem interesses e habilidades, permitirá descobrir e respeitar os seus interesses, aceitar que aprenderá mais depressa umas coisas do que outras, e ajudará a compreender que é mau compará-las. Seguidamente, sugerimos algumas atividades de estimulação específicas, que poderão realizar os pais, como também de forma progressiva outras pessoas que acompanham o bebé.

Vamos agora semana a semana enumerar os estimulos para cada etapa do crescimento do seu bebé.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]