Como escolher o Carrinho de Bebé?

Escolher o carrinho de bebé ideal não é tarefa fácil, principalmente quando se é mãe/pai pela primeira vez e a opção de escolha é enorme. O nosso conselho? Simplifique!

A primeira coisa em que se deve pensar na escolha do carrinho é no conforto e segurança do seu bebé. A segunda, é na utilidade que o carrinho terá no dia-a-dia.

Sistema de dobragem – que uso vai ter o seu carrinho?

O carrinho vai acompanhá-la a si e ao seu bebé a maioria do tempo, mesmo depois de ele começar a andar. Seja em passeios, idas ao centro comercial, supermercado ou outra situação do genero, convém que o carrinho seja fácil de dobrar e desdobrar e que o sistema de dobragem lhe permita poupar o máximo de espaço na sua bagageira – e já agora de tempo.

Há dois tipos de sistemas de dobragem:

O em “guarda-chuva” (fecha na vertical) e o “tipo envelope” (fecha na horizontal). Se a ideia é passear o seu bebé já tem mais de 6 meses, então pode optar por um carrinho de fecho em “guarda-chuva”, apesar de ser menos confortável.

Se fizermos a escolha só a pensar em facilitar o transporte, a escolha é automática: carrinhos com fecho “em guarda-chuva” são muito mais práticos e ocupam menos espaço. O problema é que deixam a desejar em termos de conforto e, se estiver a procurar um carrinho para o seu bebé recém nascido, conforto e segurança é algo que não convém descurar.

Para estes, o melhor mesmo é apostar num carrinho com sistema “tipo envelope” porque são mais robustos e mais confortáveis e, por norma, têm banco declinável – o que é o desejável já que os recém nascidos dormem mais tempo e o sono é fundamental para o seu crescimento. Normalmente estes são maiores e mais pesados, mas desde que caiba na bagageira e ainda lhe deixe algum espaço para as compras de supermercado, mais vale manter o seu bebé confortável.

Cuidados e pormenores:

Quando escolher o carrinho ideal para o seu pequenote há algumas coisas que deve ter em atenção e que dizem respeito à segurança e proteção do bebé.

Em primeiro lugar, verifique sempre se o carrinho tem o símbolo de garantia de segurança, – normalmente asseguram que está segundo as normas europeias e do local de fabrico e de acordo com as exigências de segurança.

O sistema de travagem deve ser bom e garantir que, quando tirar as mãos do carrinho, ele não vai a “andar sozinho” para o meio da estrada ou rua abaixo.

Outro fator a ter em conta é o cinto de segurança. O cinto deve ter pelo menos cinco pontos de fecho e deve ser resistente, no entanto tenha a certeza de que o consegue fechar e abrir com rapidez, caso necessite de retirar a criança do carro com alguma urgência.

Tenha em atenção arestas cortantes, espaços e dobradiças. Os mais pequenos têm tendência a mexer em tudo o que é novo e colocar os dedos em toda a fresta – mais vale prevenir e não deixar que ele se entale.

Se passear em zonas de grande tráfego, o melhor é escolher um carrinho com um chassis mais elevado para prevenir que o seu bebé inale o fumo dos tubos de escape. Tenha em consideração se as pegas são ajustáveis para que o pai, o avó ou o tio babado também possam passear a criança.

Não pendure a sua mala na pega do carrinho.

Eu sei que é tentador. Temos a nossa mala pessoal que já é grande e pesada, que precisamos que assim seja não vá alguma coisa fazer falta, e depois a mala com as coisas do bebé, que tem tendência a ser de tamanho inversamente proporcional ao da criança, e quando damos por ela já não aguentamos o peso. Mas é precisamente todo este peso que pode destabilizar o carrinho e fazer com que ele tombe para o lado, para além de que torna a condução do carrinho mais difícil.

Por fim, complete o seu carrinho com o equipamento necessário para que o bebé fique protegido das condições atmosféricas e permaneça quente e confortável.

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]