Brinquedos e segurança

0
26

A segurança é fundamental em qualquer circunstância mas quando se tratam de brinquedos especialmente para bebés e crianças, o assunto torna-se ainda mais delicado. Como o bebé deseja agarrar, chupar e morder tudo o que apanha à mão, acima de tudo os brinquedos devem ser laváveis e não podem ter pontas afiadas nem arestas. Nessa linha também não podem ser muito pequenos a ponto de as crianças os possam engolir ou aspirar para a traqueia, laringe e brônquios ao respirar.

Os brinquedos pintados são também muito perigosos devido ao tipo de tinta que é utilizada. Com a selecção apropriada de brinquedos pode evitar-se a ocorrência de muitos acidentes.

É importante vigiar sempre as brincadeiras das crianças, em especial das que têm cerca de 3 anos. No caso de um brinquedo que magoe seriamente uma criança, por falta de segurança, o fabricante ou o importador são os responsáveis e os pais poderão apresentar queixa do sucedido na Inspecção-Geral das Actividades Económicas, bastando levar o brinquedo que provocou o acidente e todas as provas que conseguir reunir (por exemplo, relatórios médicos e indicação do local de compra).

 

O brinquedo deve sugerir à criança algo que possa fazer ou tentar fazer estimulando-lhe desta forma a originalidade e exercitando-lhe a mente. Se a criança é de natureza muito irritável, necessita de brinquedos que a tranquilizem, com os quais possa brincar sem esforço e sem que lhe causem excitação.

 

Quando escolher o brinquedo, é importante que este seja adequado à idade a que se destina, pelo que o deverá observar com cuidado de forma a verificar que apresente as garantias mínimas de segurança. Para isso leia sempre as instruções e os avisos, e se for possível retire o brinquedo da embalagem e verifique se tem arestas, pontas e bordos que possam magoar a criança, ou peças pequenas que possam ser engolidas ou aspiradas.

 

No caso de brinquedos de montar, como tábuas de engomar, é importante verificar se esta tem algum mecanismo de segurança que a impeça de se dobrar sobre si mesma e entalar os dedos da criança.

 

Ao comprar peluches, não os escolha com o pêlo muito longo e verifique sempre se este se solta com facilidade, para evitar que seja ingerido pela criança. Outros aspectos dos bonecos devem também ser analisados com atenção, como os olhos, o nariz e botões pequenos, para verificar que não se soltem com facilidade.

 

Em Portugal, a lei segue as directivas europeias acerca da comercialização de brinquedos e a sua apresentação aos consumidores, nomeadamente no que respeita à marca CE. A marca CE é obrigatoriamente aposta pelo fabricante ou seu mandatário sobre o brinquedo ou embalagem, antes da sua colocação no mercado, de modo bem visível, legível e indelével, e no brinquedo deve ainda constar obrigatoriamente o nome, firma, denominação social ou marca, bem como o endereço do fabricante ou seu mandatário ou do importador.

 

No caso do brinquedo que implique riscos para as crianças, quando colocado no mercado, deve ser acompanhado de avisos e indicações de precaução e de utilização bem legíveis e redigidas de forma adequada a prevenir tais riscos, redigidas em língua portuguesa.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA