Auto-exame mamário, a prevenção contra o cancro da mama

Quanto mais precocemente o cancro da mama for diagnosticado e tratado melhores são as perspectivas a longo prazo para a mulher com a doença.

Como não conhecemos totalmente a sua causa é difícil promover a sua prevenção. Podemos, contudo, tomar certas medidas as quais, não evitando o seu aparecimento, farão com que o seu diagnostico seja efectuado mais cedo.

O primeiro passo para este objectivo é o Auto-Exame Mamário. A mulher deve conhecer as suas mamas, deve familiarizar-se com a sua textura nas diferentes alturas do seu ciclo. Rapidamente se aperceberá se algo de diferente se passar. Muito embora seja o método menos específico é aquele que mais cancros da mama diagnostica pois, se a mulher o realizar todos os meses, será efectuado doze vezes por ano.

Auto-exame mamário, um aliado na prevenção contra o cancro da mama.

O Auto – exame mamário deve ser iniciado por volta dos vinte anos de idade e deve ser realizado cerca de oito dias após ter terminado o período menstrual, altura em que as mamas se apresentam menos tensas e nodulares, permitindo uma melhor palpação.

O melhor momento para o realizar o exama é a altura em que a mulher vai tomar banho.

Na casa de banho, despida da cintura para cima deve olhar-se ao espelho e verificar se existe alguma diferença entre ambas as mamas. Talvez já tenha notado que, desde sempre, uma das mamas é mais pequena que a outra. Esta assimetria é normal. Posteriormente deverá repetir esta reservação com os braços esticados para cima, depois com as mãos à cintura fazendo força sobre esta e, finalmente, dobrada para a frente, de maneira que as mamas fiquem pendentes.

Estas posições têm como objectivo colocar sob tensão algumas das estruturas da mama e assim evidenciar algumas alterações que de outra maneira poderiam passar despercebidas.

Já no banho, ao utilizar um gel de banho ou um sabonete deve passar as mãos pelas mamas exercendo um bocadinho mais de força do que o habitual, procurando notar a presença de um nódulo ou observando se saí algum liquido pelo mamilo. Não deve espremer o mamilo.

Se dispuser ainda de algum tempo, pode deitar-se de tronco nu e de costas, na sua cama e repetir a palpação passando a mão progressivamente por toda a mama, comprimindo-a contra a parede toráxica tentando, igualmente, notar a existência de um nódulo ou observar algum corrimento mamilar.

A repetição regular do auto-exame mamário torna-o progressivamente mais eficaz.

Muitas mulheres não gostam de realizar o auto-exame com medo de encontrarem “alguma coisa”. É precisamente no encontrar precocemente “essa coisa” que está a diferença entre um diagnóstico e uma terapêutica atempada ou demasiado tardia.

Normalmente recomenda-se às mulheres até aos quarenta anos de idade, caso não haja outra razão, que façam o auto-exame mamário mensalmente recorrendo ao seu médico assistente ou a um especialista em patologia mamária caso haja alguma alteração, alguma queixa ou alguma dúvida no exame.

A partir dos quarenta anos, a mulher, para além do auto-exame mamário deve recorrer ao seu médico assistente para ser observada e para, com a periodicidade por ele julgada necessária, realizar a mamografia e a ecografia mamária, exames esses que se tornam imprescindíveis a partir desta altura, dado o aumento progressivo do risco de contrair cancro da mama.

Por detrás de um diagnóstico precoce de um cancro da mama poderá estar uma eventual cura.

Dr. Luis Mestre
Especialista em Cirurgia Geral
Mestrado em Patologia Mamária (Univ. Barcelona)
Clinica da Criança

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]