Ser pai de um bebé prematuro

Sou o Nuno, pai da Patrícia. A Patrícia nasceu num dia MÁGICO. É linda de morrer. E é a minha primeira filha.

Mas a Patrícia nasceu de 32 semanas e 5 dias. É um bebé prematuro…
Com os seus 1,425 kg é indefesa e frágil e é ajudada pelos primeiros amiguinhos que arranjou, o pessoal do Serviço de Neonatologia onde está e, que a mantêm quentinha e protegida na sua incubadora.

Ainda está a ser ventilada. Mas aqui o Pai não está a lidar bem com a situação… Ando numa ambulância há mais de 15 anos, e pensava estar preparado para tudo. Mas não estou… Não sei como lidar com esta sensação de impotencia, do não poder ajudar, de não poder estar com ela sem que vidros nos separem. Toda as pessoas tentam ajudar nesta fase e nem todas conseguem.

Psicologicamente estou de rastos mas não quero demonstrar e dá a sensação que o pai não pertence a trilogia familiar Mãe/Criança/Pai. É dificil saber que mesmo a Patrícia estando bem, tenho saudade dela estando a 30 cm dela. Por vezes dá a sensação de que o pai não fez parte da concepção da criança pois são colocados um pouco de lado na formação para cuidar da criança. beijos a todos e felicidades. Nuno

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]