Afinal quem são os sobredotados?

1941
Sobredotados
Sobredotados

Há muitas definições e por vezes as características confundem-se com as atitudes em muitas das teorias dos investigadores. De facto, na prática, o que interessa é reconhecer as características pelas atitudes, comportamentos e desempenhos. É que os sobredtados são indivíduos em risco.

Quem são os sobredotados?

Há estudos que indicam que os sobredotados, aqueles que têm capacidades acima da média em algumas áreas, podem manifestar desmotivação. Em cada 10 horas de aula, estão 7 (sete horas) sem fazer nada, ou seja em cada aula de 50 minutos, 35 são de tédio.

À espera que o tempo passe, que o professor se canse de repetir, que os colegas entendam. Daí cultivarem o desinteresse e a frustação.

Há estudos que atestam que 20% dos alunos que abandonam a escola são sobredotados, principalmente os que têm estilos de pensamento mais prático, mais auditivo e com predominância nas áreas motoras ou no pensamento divergente. Daí ficarem com uma estrutura interna desnivelada que se vai notar no seu desempenho profissional.

Há estudos que apontam para o facto da maioria dos alunos sobredotados terem dificuldade de integração social, por não entenderem as suas diferenças, não saberem conviver com elas, e por isso, não poderem adaptar-se ao meio que os rodeia em qualquer fase da sua existência. Daí uma instabilidade emocional contínua.

Por que se perdem tantos valores, tantos recursos humanos, no nosso país? Por que é que nas famílias não se observam as características das crianças e não se procura orientação ao longo do seu desenvolvimento.

Por outro lado, na escola, por falta de formação dos professores, a maioria dos quais apenas aprende áreas académicas específicas, limita-se a constatar se o aluno consegue ou não atingir os objectivos do programa.

Mas a escola não sabe, nem consegue preencher as lacunas, ou áreas fracas dos alunos.

E quando pensa que está a trabalhar nessa área, na maioria das vezes apenas aumenta a frustação do aluno, que se sente “menos” do que os outros, por necessitar de apoio especial, ou pensa-se “incapaz” por comparação com o que lhe é exigido, um currículo alternativo, isto é, com objetivos mínimos.

Todavia, quando o aluno é mais dotado, então nem essa regalia tem, pois é simplesmente “abandonado” porque não precisa de apoio, segundo o professor (e a legislação).

Já tem boas notas, por isso é deixado a si próprio. Vai desenvolvendo o desinteresse pela escola, criando lacunas no seu desenvolvimento global e manifestando a chamada instabilidade emocional.

Ficam muito frágeis perante a vida, perante os obstáculos, perante as injustiças e facilmente entram em depressão, que sabem camuflar muito bem, e podem chegar ao suicídio, sem darem indicação da
sua enorme angústia e desequilíbrio interior!

Por isso atenção, pais! Por isso, pais, procurem ajuda e orientação! Exijam formação para os professores!

Como podemos detectar os sobredotados, para atempadamente se orientarem e harmonizarem as suas características?

Se encontrarem no vosso filho, aluno, colega de trabalho, pelo menos 5, de entre esta lista de características defendidas por investigadores, é possível que ele/ela seja sobredotado:

  • capacidade de resolução de problemas,
  • rapidez de aprendizagem,
  • excelente memória,
  • bom poder de observação,
  • grande capacidade de atenção,
  • sede de aprender,
  • sensibilidade,
  • perfeccionismo,
  • elevado sentido de justiça e compaixão pelos outros,
  • sentido social,
  • intensidade no desempenho de tarefas,
  • elevado empenhamento no trabalho,
  • sensibilidade moral,
  • muita curiosidade,
  • perseverança,
  • elevado nível de energia,
  • grande variedade de interesses,
  • sentido de humor,
  • emitindo juízos,
  • elevado espírito crítico,
  • imaginação,
  • criatividade.

Sempre que estas características se apresentam muito elevadas,atenção pais e professores!

Preparem-nos bem para o futuro.

Criem-lhes anticorpos. Estejam super atentos a todos os sintomas. O que normalmente é melhor conseguido pelas mães, tantas vezes acusadas de super-proteção. Não liguem. Confiem nos vossos instintos. Mais vale prevenir! Remediar é muito doloroso! Constatar é um inferno!

Em ambiente de trabalho é necessário redobrar mais atenção em relação aos colegas e haver maior humanização das hierarquias e chefias. O remorso é incómodo e não se consegue deitá-lo para trás das costas. Nunca completamente.

Dra. Manuela Da Silva – CPCIL

A sua opinião
[Total: 5 Média: 4.2]

Escreva um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here