Pedir, Pedir e Pedir… Aprenda a dizer não

266
say-no-to-your-child_s600x600.jpg
Só sabem pedir e fazer autênticas birras ao verem que as suas exigências não são satisfeitas. Os pais lá vão aguentando, mas saber dizer Não é também uma excelente lição.

Passam por uma gelataria e ele pede-lhe um gelado. Mais à frente, “lembra-se” que não lhe apetece o gelado e reclama por um bolo. Depois, e ainda não satisfeito, exige um chupa e ao passarem por uma montra cheia de brinquedos, não só quer um peluche em formato de dragão, como ainda a última novidade de carros existente no mercado. Os pais compram e eles continuam a pedir, sempre com birras e choros à mistura caso lhes diga um enorme “Não”.

A solução é complicada. As crianças nunca estão satisfeitas com aquilo que os pais lhes dão, querendo sempre mais e mais, não medindo os limites das suas exigências. Normalmente, é entre os 3 e 4 anos que esta fase mais se intensifica e que causa maiores chatices. Todas estas atitudes, revelam a necessidade de os filhos se assumirem a fim de descobrirem qual o seu papel no seio da família e a intensidade do seu poder face aos mais velhos.

A palavra “Não” deve ser pronunciada sempre que se justifique. Se desde muito novos os filhos conseguirem fazer e ter aquilo que querem dos pais, mais tarde será muito complicado combater essa sua faceta. O importante é moldá-la gradualmente logo desde pequeninos, ainda que lhe custe e entenda que não está a agir correctamente. Acredite que, mais tarde, irá colher os frutos dessas negas que lhe deu quando o seu filho era muito novo. Todavia, não o faça sentir-se rejeitado. Tudo tem o seu equilíbrio.

Se até à data tem feito tudo o que o seu filho lhe exige, cuidado. Mais tarde a criança pode vir a tornar-se arrogante, um tirano, com problemas de integração em grupos sociais, não tolerará derrotas e pode ser uma pessoa histérica, quando não vê os seus desejos irem avante. Os pais acabam por ser os principais responsáveis pela formação da personalidade dos filhos e, para isso, essas pequenas negas devem começar desde muito cedo.

Assim, aprenda a dizer “Não” e mantenha-o sempre que necessário. Esta atitude deve ser não só da parte da mãe, como também deve provir de todas as pessoas que rodeiam a criança: familiares, amas, pessoas adultas conhecidas. Por muita choradeira que faça, não vacile e leve a sua por diante. Ele pode mesmo pensar que ao verter umas lágrimas, faz e exige o que muito bem entender. Tente explicar-lhe que não é correcto estar sempre a pedir coisas e que há um limite para tudo, inclusivé para fazer exigências caprichosas.

Os pais, por vezes e, ao dizerem que “Não”, começam a sentir sentimentos de culpa por verem os seus filhos fazer uma birra ou então, perdem a paciência e dão-lhe de uma vez aquilo que eles querem. Pelo facto de não estarem muito tempo em casa e de acharem que não lhe dão a atenção suficiente, muitos pais enchem os filhos de prendas e satisfazem os seus pedidos exagerados.

Qualquer que seja a sua situação o lema aplica-se sempre: aprenda a dizer “Não”, de forma convincente e sem voltar atrás nas suas decisões. O retorno na sua palavra é o pior que pode fazer para que ele se sinta poderoso nas suas exigências. De uma vez, tente acabar com essas birras e pedidos em tom de autoritário. O “Não” também se aplica às crianças!

A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]

Escreva um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here