Onde fica o seu filho?

217

Antigamente era muito habitual, deixar os filhos em casa dos avós, mas hoje recorre-se com bastante frequência a creches e infantários.

As semanas passam rapidamente sem que se aperceba, da velocidade dos dias. Quando olha para o seu filho e faz contas à vida, repara que já passaram quatro rápidos meses, desde que o trouxe para o mundo. Agora, é que o maior problema surge…

Numa altura em que as mulheres cada vez mais se tornaram independentes e com uma vida laboral activa, passados quatro meses de ter dado à luz, é "obrigada" a voltar ao trabalho. O seu companheiro tem também uma função a cumprir profissionalmente, de maneira que tem de encontrar uma saída viável e um local onde deixar o seu filho em segurança.

Antigamente era muito habitual, deixar os filhos em casa dos avós, mas hoje recorre-se com bastante frequência a creches e infantários, que começam desde muito cedo a incutir nos mais novos normas e noções básicas. Estamos perante uma geração que, aos poucos e poucos, se vai desenraizando das tradições do passado.

Estas mudanças não implicam que os avós não saibam tomar conta dos netos ou que não tenham capacidade para tal, o que acontece é que a época é de mudança e apela-se a uma diversidade de escolhas e de opções que, possivelmente os mais idosos não podem dar ou não têm disponibilidade horária para tal, assim há que procurar um estabelecimento apto para essa função.

Quando se dirigir a um estabelecimento que tome conta de crianças, prepare-se para ouvir que está muito difícil a entrada por causa da enorme lista de espera. Aí, um longo caminho chama por si, tendo que se deslocar de porta em porta à procura de um local, menos congestionado que permita a entrada do seu filho.

Nestes locais de extrema utilidade educativa e pedagogicamente importantes, desenvolvem-se e solidificam-se, as bases para uma personalidade futura. Pode pensar que é muito cedo para se falar em personalidade, mas os traços desta são definidos desde muito cedo.

Tenha em atenção o seguinte: as crianças devem ser nutridas de todos os cuidados, ao nível da higiene, educação, alimentação e pedagogia, a que têm direito. Devem igualmente, se possível, serem acompanhadas individualmente para que se estabeleça uma relação de conforto, cumplicidade e equilíbrio, entre a educadora e a criança.

Há questões que são fundamentais quando for visitar um local deste tipo, para ficar de antemão a saber o que o seu filho pode esperar. Informe-se sobre o número de crianças da escola, bem como o de educadoras e auxiliares, se existe apoio médico, as variedades de experiências que proporcionam, a sua rotina diária e que tipo de especialização, predomina naquele local.

Após esta pequena pesquisa, verifique o ambiente e as condições do estabelecimento, pois são estas que vão determinar o dia a dia do seu filho. Existem as escolas públicas ou privadas, sabendo desde já que os valores nem sempre são para os bolsos de toda a gente. Mas, não julgue que pelo facto de a escola ser pública, as condições são piores. Trata-se aqui, é de um número maior de crianças e de um assistência, não tanto individualizada mas mais conjunta, por parte das educadoras e auxiliares.

As actividades destes locais, fazem com que o seu filho desenvolva desde muito cedo, as capacidades que lhe são inerentes. O contacto com as outras crianças é também muito positivo, para partirem todos à descoberta das coisas. Porém, se tiver recursos para tal, pode contratar uma ama, para ficar com o seu filho e aí, à partida, a atenção será toda para ele. Contudo, informe-se muito bem da ama que pretende contratar.

Esta é uma fase muito importante para eles, onde lhe deve dar o melhor do mundo, como em todas as situações no decorrer da vida. Deixe-o em segurança e feliz e, verá que você também realizará um melhor trabalho, onde quer que se encontre…

A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]

Escreva um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here