O sucesso da amamentação

Amamentação

Amamentar um filho é algo para o qual deve estar devidamente preparada e consciente. Mas, amamentar não é somente um tarefa da criança, é igualmente um processo que passa também pela mãe.

Existem princípios que devem ser seguidos da melhor maneira, para que o processo de amamentação seja um êxito.

A postura é a chave do sucesso da amamentação …

Na mamada há uma célula que se contrai, por intermédio da ocitocina, a mesma hormona que contrai o útero durante o parto. Antes ou durante o momento da mamada, a contração desta célula, pode originar um formigueiro no peito, sinal de que se está a iniciar a descida ou queda do leite. Porém, existem mães que deixam de notar esta descida ou mesmo, que nunca a chegaram a sentir. Não se preocupe, pois é perfeitamente normal. A maior parte do leite não chega a gotejar, acumulando-se nos seios galactóforos, que se situam ao redor do peito, mais ou menos em redor da auréola.

As crianças mamam precisamente, no local onde estão os seios galactóforos cheios de leite. Para a amamentação, funcionar bem, o bebé deve ter a boca bem aberta, e o peito muito bem colocado. Assim, pode espremê-lo com facilidade. O peito deve estar colocado, mais perto do lábio superior do que do inferior e, a língua deve ficar debaixo do peito. Se a amamentação, não se torna dolorosa é sinal de que, a língua e boca estão no sítio, e o bebé terminará satisfeito.

A postura quando se dá de mamar é muito importante. A força com que o bebé pega no peito é tal, que para retirar é melhor, com um dedo, romper a “ventosa” e retirar o peito da boca. Para se sentir confortável, a mãe pode apoiar as costas numa cadeira e os pés num banco. O bebé descansará e mamará bem, desta maneira. Pode estar também sentada, noutro local e, com o bebé voltado para si, usar um almofadão para o apoiar e aproximá-lo do seu peito.

Uma má postura para amamentar provoca dores, por vezes gretas e, nesse caso deve começar do início. Quando o bebé está a mamar corretamente, as bochechas não se encovam, da mesma forma que se ele estiver a mamar bem, abandonará por si mesmo o peito da mãe. O leite do início é mais aguado e o do fim, já tem mais gorduras, sabendo-lhe melhor. Mas, o bebé nunca consegue extrair o leite até ao fim.

Os bebés podem mamar dez a doze vezes, durante as 24 horas que preenchem o dia. Se continuamente o peito é solicitado, é porque não está bem colocado. O bebé regurgita a toda a hora, ainda que tome uma grande quantidade de leite. O problema é que este leite, é o do início e de forma que nunca está satisfeito. A mãe deve-lhe dar de mamar sempre que pede, desde que não exagere e, certamente o seu filho estará com um bom peso.

O bebé deve estar sempre de frente para a mãe e, a sua cabeça alinhada com o corpo, de maneira a ficar com o mamilo, à altura do nariz. O peito deve ser chegado ao seu filho e não inclinar-se sobre ele. O peito sabe quanto leite necessita a criança, porque ela lho solicita. Se forem gémeos ou trigémios sairá o dobro ou o triplo do leite, respetivamente. À medida que crescem, começam a mamar menos porque já tem acesso a outros alimentos, e dessa forma sairá menos leite. Não esquecer que este, depende da fome e do pedido do bebé.

Tenha especial atenção que os sintomas de uma posição incorreta, notam-se pelo seguinte: mamadas demasiado longas acabam por não soltar o peito, o bebé fica com fome e quer mamar a todas as horas. As dores e as gretas no peito, vómitos e regurgitações e os peitos muito inchados revelam, um má posição. O escasso aumento de peso, ainda que às vezes possa ser normal, é também um sinal de uma má posição.

Se tem algum destes sintomas ou se faz algo das formas incorretas que aqui foram mencionadas, modifique a sua postura. Evita assim, um mau conforto para a mãe e para o bebé… e seja bem sucedida na amamentação.

Classificação
A sua opinião
[Total: 1 Média: 5]