Cálcio como fonte de vida

O cálcio é fundamental para garantir um bom desenvolvimento ósseo, assegurando o crescimento saudável e a respectiva manutenção dos ossos. E, quando o leite falta?

O cálcio é o responsável pela boa constituição dos ossos. Se não receberem a quantidade de cálcio necessária é provável que os problemas comecem a surgir ou que se verifiquem doenças indesejadas. A pirâmide alimentar possui alimentos que são responsáveis pela transmissão de cálcio, embora nem sempre sigamos essa regra à risca.

O cálcio tem uma importante função no crescimento dos mais novos, na gestação, lactação, na constituição óssea, na formação e manutenção dos dentes, regulação dos nervos e no equilíbrio dos batimentos cardíacos. Se não forem consumidas as doses de cálcio aconselhadas pelos especialistas, problemas como o raquitismo, osteoporose, ou a osteomalácia, podem surgir quando menos esperar.

As doses que os médicos costumam aconselhar é de cerca de 1,5 gramas de cálcio por dia para as crianças, enquanto que para os adultos 800 a 1000 mg por dia é o favorável. Para as grávidas, mulheres na menopausa, e homens com mais de 65 anos de idade é recomendável também os 1,5 gramas, tal como para todas as crianças em fase de crescimento.

A mais importante fonte de cálcio é o leite e os seus derivados. O leite é constituído por proteínas, matérias gordas, hidratos de carbono, potássio, fósforo e cálcio, sendo por isso os seus derivados vias importantes de transmissão de cálcio. Fique a saber que um copo de leite ou um iogurte contribuem com 300 mg de cálcio ao organismo, enquanto que uma fatia de queijo anda à volta dos 200 ou 250 mg de cálcio.

Porém, existem muitas pessoas que não suportam leite, ou que fazem grandes sacrifícios para o consumirem. A essas pessoas é aconselhável fazer-se um esforço redobrado, pois o leite e os seus derivados são fundamentais para manter a sua constituição óssea sã. Mas, tem sempre outras alternativas que, não sendo tão benéficas na transmissão de cálcio como o leite, podem ser também uma solução: os bróculos, feijão, amêndoas, sardinhas, de preferência enlatadas, repolho. Estes produtos alternativos aos lacticínios fornecem cerca de 100 a 200 mg de cálcio por dia aos adultos, sendo por isso uma boa opção.

O cálcio é primordial para a constituição física do ser humano, desde o dia em que se nasce. À medida que os ossos se vão formando é importante continuar a alimentá-los como até então, e para tal o adulto deve ingerir as doses acima indicadas. O exercício físico, em especial a marcha, é fundamental para a regulação dos ossos, até porque há uma tendência para aumentar o conteúdo do cálcio. Um ou dois kms por dia é a média ideal que as pessoas devem fazer de marcha por dia.

Quando os ossos estão já muito descalcificados é frequente que sejam administrados medicamentos como substitutos do cálcio, contendo pequenas doses de chumbo. É exactamente por causa deste componente dos medicamentos substitutos de cálcio, o chumbo, que têm surgido fortes discussões. Isto porque, não convém que o organismo receba quantidades de chumbo em demasia, podendo trazer efeitos secundários consigo.

A partir de agora tenha uma maior atenção em relação àquilo que come, e esforce-se por beber muito leite, consumir os seus derivados ou optar por alimentos substitutos. Faça um pouco de marcha e não deixe que a descalcificação óssea atinja a sua estrutura.

Zele pela sua saúde e pela do seu filho!

Classificação
A sua opinião
[Total: 0 Média: 0]